Principais medicamentos prejudiciais à saúde

Importância de um plano de saúde
O que faz um plano de saúde ser algo tão necessário atualmente?
13 de julho de 2017
Diferença entre plano de saúde e seguro saúde
Diferença entre plano de saúde e seguro saúde
13 de julho de 2017

Principais medicamentos prejudiciais à saúde

medicamentos prejudiciais à saúde

Com a evolução da medicina moderna, marcada por enormes avanços no campo da microbiologia, neurologia e demais áreas que até poucas décadas atrás não se tinha nenhum conhecimento, tratar diversas doenças que antes eram consideradas letais se tornou algo corriqueiro.

Se hoje estamos com uma gripe, basta ligar para o plano de saúde, fazer uma consulta com um médico clínico geral ou infectologista, seguir suas recomendações, tomar os medicamentos indicados e dentro de poucos dias estamos bens. O mesmo vale para inúmeras outras doenças.

Aliás, chegamos a um momento em que diversos medicamentos são vendidos sem receita para qualquer pessoa, como aspirina, diclofenaco, antiácidos, antigripais, uma série de vitaminas, medicamentos para peles, dentre diversos outros.

No entanto, como não é segredo para ninguém, alguns medicamentos, principalmente quando consumidos em excesso, são extremamente prejudiciais a nossa saúde. Na sequência, vamos listar alguns dos principais para que você não corra risco e esteja sempre atento.

Lista de medicamentos prejudiciais à saúde

Antibióticos: quando estamos com inflamações ou infecções, o medicamento mais eficazes são os antibióticos. No entanto, com seu uso em larga escala, e muitas vezes na dose incorreta e com a duração incorreta, acaba tendo o efeito contrário. Assim, ao invés de matar os vírus e bactérias, eles as deixam mais fortes, o que pode levar a uma série de problemas de saúde.

Anticoncepcional: para as mulheres que fazem uso deste tipo de pílula, o cuidado deve ser redobrado, em especial durante o primeiro ano. Isso porque os anticoncepcionais podem causar trombose, que se caracteriza pela coagulação do sangue dentro das veias. Além do risco de amputação de membros, a trombose pode levar à morte.

Remédios para gripe: quem toma algum tipo de medicamento para hipertensão (diminuição da pressão alta) deve evitar o consumo de medicamentos para gripe. Isso porque muitos deles possuem substâncias que diminuem o efeito dos remédios que diminuem a pressão, podendo levar a infartos e outros problemas.

Vitamina D: utilizada para fortalecer os ossos, quando consumida em doses maiores que 50 mg ela se torna tóxica para o organismo, causando náuseas, vômito, suor excessivo, nervosismo é mesmo pressão alta.

Paracetamol: sendo um dos medicamentos mais consumidos ao redor do mundo, seu consumo diário e prolongado por vários anos podem levar a uma série de problemas intestinais, cardíacos e renais, todos de natureza grave.

Recomendações

Claro que com algumas exceções, os problemas advindos dos medicamentos citados acima ocorrem somente quando há a ingestão excessiva e por tempo prolongado. No entanto, para evitar surpresas, a melhor recomendação é sempre esclarecer as dúvidas com seu médico, seja ela do SUS ou de seu plano de saúde.

Além disso, evite tomar medicamentos ao sinal da menor dor. Muitas vezes, uma dor de cabeça passa quando saímos da frente do computador ou desligamos a televisão. O mesmo ocorre com dores fracas a moderadas nas costas, que costumam passar quando nos deitamos ou começamos a praticar alguma atividade física.

Além disso, hoje se sabe que o uso de medicamentos afetam diretamente aos rins, o que pode levar a complicações mais sérias, como a cirrose medicamentosa, que só é tratada por meio da hemodiálise. Por isso, converse com seu médico antes de começar a tomar qualquer medicamento.

Os comentários estão encerrados.